Desnivelamento de ruas, de meio-fio, bocas de lobo entupidas, lajotas esfarelando, subcontratações de trabalhadores sem carteira assinada e máquinas da prefeitura trabalhando nas obras do Programa Pavitotal foram apenas algumas das inúmeras irregularidades constatadas, na tarde de ontem, pela Comissão de Serviços Públicos da Câmara de Vereadores de Criciúma. A vistoria foi realizada pelos vereadores Ivan Westphal (PT) e Douglas Mattos (PCdoB), acompanhados do presidente da União da Associação de Bairros de Criciúma (UABC), Edson do Nascimento. Empresas vencedoras de licitações para a execução das obras e Executivo serão chamados na Câmara para dar explicações e, segundo a comissão, a intenção é que o trabalho seja refeito.
Na primeira rua averiguada, João Batista Cordeiro, no bairro São Defende, inaugurada no dia 8 de fevereiro deste ano, foram constatadas: bocas-de-lobo entupidas, depressão em meio à rua e lajotas desmanchando. Na frente de uma casa, com inúmeras lajotas soltas, o próprio morador fazia reparos. Nas ruas Carlos Ronchi, Ladísio Pasini e Ângela Bonfante, todas no mesmo bairro, as mesmas situações foram constatadas.
“Iremos fazer um requerimento, inclusive em relação a um destes logradouros, para averiguar se as lajotas são todas novas, se há lajotas usadas e se foram pagas como novas”, observou o vereador Douglas. Para o parlamentar está claro o problema de execução do projeto e da obra. Até mesmo uma boca-de-lobo no sentido oposto ao curso da água foi encontrada. “As lajotas estão desintegrando. São ruas inauguradas há poucos meses. Como estarão daqui um ano?”, questionou o vereador Ivan.
No bairro Las Vegas a comissão encontrou ainda mais irregularidades, além de problemas estruturais na obra, os trabalhadores afirmaram que máquinas da prefeitura trabalham no local. Os funcionários também confirmaram que alguns foram contratados sem registro em carteira nem experiência neste tipo de trabalho. No último bairro visitado, São Luiz, problemas também foram detectados. Das 500 ruas prometidas que seriam pavimentadas pelo Pavitotal na cidade, até o momento, apenas 29 foram concluídas pelo governo.

Colaboração: Daniela Niero/Comunicação Câmara de Vereadores de Criciúma

Comissão de vereadores encontra irregularidades em obras do Pavitotal

Desnivelamento de ruas, de meio-fio, bocas de lobo entupidas, lajotas esfarelando, subcontratações de trabalhadores sem carteira assinada e máquinas da prefeitura trabalhando nas obras do Programa Pavitotal foram apenas algumas das inúmeras irregularidades constatadas, na tarde de ontem, pela Comissão de Serviços Públicos da Câmara de Vereadores de Criciúma. A vistoria foi realizada pelos vereadores Ivan Westphal (PT) e Douglas Mattos (PCdoB), acompanhados do presidente da União da Associação de Bairros de Criciúma (UABC), Edson do Nascimento. Empresas vencedoras de licitações para a execução das obras e Executivo serão chamados na Câmara para dar explicações e, segundo a comissão, a intenção é que o trabalho seja refeito.
Na primeira rua averiguada, João Batista Cordeiro, no bairro São Defende, inaugurada no dia 8 de fevereiro deste ano, foram constatadas: bocas-de-lobo entupidas, depressão em meio à rua e lajotas desmanchando. Na frente de uma casa, com inúmeras lajotas soltas, o próprio morador fazia reparos. Nas ruas Carlos Ronchi, Ladísio Pasini e Ângela Bonfante, todas no mesmo bairro, as mesmas situações foram constatadas.“Iremos fazer um requerimento, inclusive em relação a um destes logradouros, para averiguar se as lajotas são todas novas, se há lajotas usadas e se foram pagas como novas”, observou o vereador Douglas. Para o parlamentar está claro o problema de execução do projeto e da obra. Até mesmo uma boca-de-lobo no sentido oposto ao curso da água foi encontrada. “As lajotas estão desintegrando. São ruas inauguradas há poucos meses. Como estarão daqui um ano?”, questionou o vereador Ivan.No bairro Las Vegas a comissão encontrou ainda mais irregularidades, além de problemas estruturais na obra, os trabalhadores afirmaram que máquinas da prefeitura trabalham no local. Os funcionários também confirmaram que alguns foram contratados sem registro em carteira nem experiência neste tipo de trabalho. No último bairro visitado, São Luiz, problemas também foram detectados. Das 500 ruas prometidas que seriam pavimentadas pelo Pavitotal na
cidade, até o momento, apenas 29 foram concluídas pelo governo.